back to top

13 ilustrações extraordinárias de artistas com autismo

No livro Drawing Autism [Desenhando o Autismo], Jill Mullin, analista comportamental residente em Nova York, compila mais de 50 trabalhos de crianças e adultos que se enquadram no espectro do autismo.

publicado

1. “River Street, Troy, NY”, de James Kenneally.

James Kenneally / Via Drawing Autism

O autismo é conhecido como um “transtorno espectral”, porque não existem dois diagnósticos exatamente iguais; no entanto, existem traços característicos do transtorno do espectro autista (ASD, na sigla em inglês).

Publicidade

4. “Bonde em Hanói”, de Shawn Belanger.

Shawn Belanger / Via Drawing Autism

Shawn Belanger nasceu em Calgary, Alberta, no Canadá, em 1985. De acordo com seu website: “Quando tinha 7 ou 8 anos de idade, Shawn costumava encontrar um livro de imagens e colocá-lo ao seu lado na mesa para olhar enquanto desenhava. No começo, ele não gostou das imagens que criou; ele tinha dificuldade em segurar o lápis e decidiu que ele e sua mãe deveriam desenhar com mão sobre mão, com ela segurando o lápis e ele controlando as ações. Mais tarde, ele começou a desenhar por conta própria”.

5. “Primatas”, de David Barth.

David Barth / Via Drawing Autism

Através de sua arte, os artistas compilados no livro apresentam perspectivas únicas sobre como eles veem o mundo e onde eles se encaixam nele.

6. “Homem-Música”, de Shawn Belanger.

Shawn Belanger / Via Drawing Autism

Como escreve a curadora on-line Maria Popova: “Uma mudança significativa que ocorreu ao longo dos últimos anos foi uma alteração no modo de perceber a mente autista não como deficiente, e sim como a de pessoas com capacidades diferentes — e muitas vezes impressionantes em suas diferenças.”

7. “Menina e Cabra”, de Justin L. Williams.

Justin L. Williams / Via Drawing Autism

Como indica ela, muitos outros exemplos extraordinários de habilidades autísticas vêm sendo documentados nos últimos anos. O artista britânico Stephen Wiltshire, por exemplo, desenha Roma de memória neste vídeo.

Publicidade

8. “Um Retrato do Artista”, de Emily L. Williams.

Emily L. Williams / Via Drawing Autism

E o cérebro de Daniel Tammet é simplesmente incrível: certa vez ele aprendeu islandês em uma única semana e quebrou o recorde europeu por recitar o número pi até o 22.514º dígito. Além disso, ao contrário de muitos outros, ele também é capaz de falar eloquentemente a respeito de seu transtorno.

9. “Vórtice de Dentro para Fora” da “Série Onírica” (Data do Sonho: 23 de dezembro de 1987), de Steven Sandor Selpal.

Steven Sandor Selpal / Via Drawing Autism

Stephen Sandor Selpal descreve seu “fascínio de toda a vida” como percepções de organismos vivos e como eles funcionam e reagem ao ambiente.

10. “Só o Dinheiro Interessa”, de Marilyn Cosho.

Marilyn Cosho / Via Drawing Autism

Marilyn Cosho tem síndrome de Asperger e criou 50 fadas de corda desde 2005: “As fadas não são muito deste mundo, e eu também me identifico com isso”.

11. “Pior Medo”, de Marilyn Cosho.

Marilyn Cosho / Via Drawing Autism

“Meu desenho muitas vezes reflete a mente autista — esboçado para o detalhe e a ordem. Criando ordem eu compenso a sensação de fragmentação.”

12. “Pantera”, de Emily L. Williams.

Emily L. Williams / Via Drawing Autism

Através de sua arte, os artistas compilados apresentam perspectivas únicas sobre como eles veem o mundo e seus lugares dentro dele.

13. “Subterrâneo”, de David Barth.

David Barth / Via Drawing Autism

E os sete capítulos do livro — Interação, individual e societal; Repetição, repetição, repetição; Indo daqui até lá; Visão de fora; Um outro mundo; É tudo história; e Arte pela arte — abordam diretamente as principais características do ASD.