14 Coisas Que Você Realmente Não Deseja Saber Dos Alimentos Que Você Compra

Desculpas antecipadas.

1. A fabricação de iogurte grego produz toneladas de soro ácido (tóxico) desperdiçados todos os anos, e ninguém sabe o que fazer com isso.

Eis um trecho de uma fascinante matéria da revista Modern Farmer sobre como lidar com o problema do soro de leite:

“Para cada 100 ou 120g de leite, a Chobani e outras companhias só conseguem produzir 30g de iogurte grego cremoso. O resto acaba virando soro lácteo ácido. Trata-se de um dejeto viscoso que não pode ser simplesmente descartado. Não apenas isso seria ilegal, como também a decomposição do soro do leite é tóxica para o meio ambiente, roubando o oxigênio de córregos e rios. Isso poderia transformar um curso d’água naquilo que os especialistas chamam de ‘mar morto’, destruindo a vida aquática por áreas potencialmente amplas. Derramamentos de soro de queijo, um parente de soro de iogurte grego, já matou dezenas de milhares de peixes nos Estados Unidos nos últimos anos.”

2. Os sucos de laranja que não provêm de “concentrado” são processados com “pacotes flavorizantes” para assegurar, de modo artificial, que cada garrafa tenha exatamente o mesmo gosto.

Não importa a estação do ano ou de quais laranjas o suco provém, as grandes empresas de bebidas fabricam seus produtos de maneira perfeitamente consistente, ao misturarem no suco flavorizantes cuidadosamente calibrados, específicos de cada marca. Essas misturas são adicionadas para substituir os sabores naturais perdidos quando o suco tem parte do seu oxigênio removido (sendo “desarejado”) para que ele possa ser mantido em tanques de armazenamento durante mais de um ano (!) sem oxidar.

Como o sabor adicionado é tecnicamente derivado do óleo e do extrato da laranja, ele não precisa ser listado de forma específica entre os ingredientes. Leia mais aqui.

3. É desta forma que os ingredientes para hambúrgueres vegetarianos embalados são misturados uns aos outros:

Num enorme carrinho de mão. Com uma pá. Nossa, adorei tanto isso. Assista ao vídeo completo do Science Channel aqui.

4. A maior parte do leite comercial é produzida por meio de combinação, aquecimento, homogeneização e reembalagem do leite de centenas de vacas.

O leite é separado em diferentes componentes (gordura, proteína e outros resíduos sólidos e líquidos) por grandes centrífugas industriais. Esses componentes lácteos são, então, recombinados em diferentes proporções para se produzir leite integral, semidesnatado e desnatado perfeitamente uniformes.

Leia mais sobre o processo – e sobre como o leite cru (ou seja, aquele que sai das vacas) se tornou uma coisa do passado – nesta matéria do L.A. Times.

5. Os produtores de cerejas marascas lavam as frutas com alvejantes químicos e depois as deixam marinando em grandes cubas com xarope de milho e corante para tornarem as cerejas vermelhas novamente.

Desculpa, elas não nascem assim.

6. Muitas sopas enlatadas são flavorizadas com glutamato monossódico (MSG), mesmo quando elas afirmam o contrário.

Muitas sopas enlatadas são flavorizadas com glutamato monossódico (MSG), mesmo quando elas afirmam o contrário.

Feito com MSG. / Sem MSG*. / A Campbell’s produz mais de 90 sopas com MSG. / A Progresso produz 26 sopas sem MSG*. / Na Progresso, estamos removendo o MSG* de todas as nossas sopas deliciosas. E não se preocupe, prometemos manter o mesmo sabor que você sempre adorou. * exceto o MSG que ocorre naturalmente em extrato de levedura e em proteínas vegetais

View this image ›

O aditivo dá um sabor de carne às sopas, ajudando a compensar a perda de sabor induzida nos enlatados e a redução de sal (muitas marcas acabaram reduzindo o seu uso de sal graças a campanhas nutricionais condenando os altos níveis de sódio).

O MSG não necessariamente é nocivo, mas os fabricantes de sopas evitam admitir o seu uso, afirmando capciosamente que ele “ocorre naturalmente” (porque é refinado a partir de proteínas de vegetais e de leveduras) e listando-o entre os ingredientes como “extrato de levedura” ou “proteína hidrolisada”. Uma verdadeira guerra publicitária eclodiu em 2008 porque a Campbell’s e a Progresso passaram a temer que os consumidores deixariam de comprar sopas que contivessem MSG.

7. O processo de enlatamento de sopas é tão violento que as companhias produzem cenouras superduras em suas receitas para que elas não se desintegrem.

Esse aí é só um cara qualquer segurando uma cenoura enorme, mas um ex-cientista alimentar da Campbell’s descreveu as cenouras com resistência industrial como “semelhantes a troncos de árvore – parecidas com bastões de beisebol”.

8. Muitos sorvetes são espessados e estabilizados com carragenina, que é na verdade um extrato de algas marinhas.

 

O que não é ruim, apenas… esquisito? Mais informações aqui.

9. Salsichas são preenchidas com uma mescla gosmenta de retalhos de carne, gordura e amido, ou “recheio de cereais”.

Recheio de cereais = farelos de pão, farelo de grãos ou farinha, porque quem é que não adoraria um pouco de farelo de grãos em sua salsicha bock? E isso sem falar em todos os adoráveis flavorizantes, corantes e conservantes que podem estar flutuando por ali também. Se você está a fim de vomitar mais um pouco, dê uma olhada neste vídeo do processo de produção.

10. Inúmeros azeites de oliva importados (e caros) “extra virgem” são na verdade batizados com óleos de sementes e nozes mais baratos.

Leia o ensaio fascinante (e hilário) de Tom Mueller sobre a fraude dos azeites italianos, que acabou virando o livro Extravirgindade: O Sublime e Escandaloso Mundo do Azeite de Oliva.

11. Produtos vermelhos e cor de rosa são muitas vezes corados com extrato de cochonilha, ou seja, nada mais nada menos do que os corpos esmagados de minúsculos insetos.

 

Incluindo todos esses velhos conhecidos. O extrato de cochonilha também aparece listado, por vezes, como ácido carmínico ou carmim. Você pode aprender mais sobre o delicioso processo de fabricação desse corante aqui.

12. Cremes para café são feitos com xarope de milho e óleos vegetais (hidrogenados e com gordura trans).

Creme coisa nenhuma. Aqui estão os ingredientes listados no rótulo do Coffee-Mate Original Liquid:

ÁGUA
RESÍDUOS SÓLIDOS DE XAROPE DE MILHO
ÓLEO PARCIALMENTE HIDROGENADO DE SOJA E/OU DE ALGODÃO
MENOS DE 2% DE CASEINATO DE SÓDIO (UM DERIVADO DO LEITE)
FOSFATO DIPOTÁSSICO
MONOGLICERÍDEOS E DIGLICERÍDEOS
ALUMINOSSILICATO DE SÓDIO
SABOR ARTIFICIAL
CARRAGENINA

E se você precisa de mais um motivo para parar de colocar creme no seu café, saca só essa textura superdivertida que surge quando todos esses ingredientes se juntam!

13. Para se fazer bacon, barrigas de porco são penduradas nessa máquina estranha ao estilo lava-jato e banhadas com “fumaça líquida”.

Essa chuva vermelha horripilante também inclui corantes para dar uma cor mais apropriada de bacon ao porco.

14. O queijo ralado está repleto de celulose - ou seja, polpa de madeira refinada - para evitar que ele fique embolotado.

 

A celulose, feita de fibras de plantas retalhadas (incluindo madeira), é um aditivo alimentar comum que pode ser usado para deixar o sorvete mais cremoso ou para engrossar o molho de salada sem adicionar calorias. Como ela é derivada naturalmente, até mesmo os alimentos embalados rotulados como orgânicos muitas vezes incluem celulose. Serragem! Quem diria?

Check out more articles on BuzzFeed.com!

Este post foi traduzido por usuarios de Duolingo, um serviço que ajuda estudantes de idiomas praticar suas hablidades traduzindo textos do dia-a-dia para suas línguas maternas. Queremos continuar crescendo e melhorando o nosso conteúdo. Se você tiver sugestões ou comentários envie-nos um email ao brasil@buzzfeed.com. Obrigado!

Conversas no Facebook
Buzzing agora