10 Sinais De Que Você Está Tendo Uma Crise Dos 25 Anos

Ah. Ótimo.

1. Durante o dia, você anda sonhando acordado em fazer alguma loucura.

Você não sabe o que você quer e ou você está preso em um trabalho que você odeia, ou ainda está tentando descobrir o que você quer fazer da vida; Será que você deveria se mudar para a Europa? Juntar-se ao Corpo da Paz? O exército? Fazer uma pós graduação? Vender os seus pertences e ir morar em um ashram? De repente, todas essas ideias soam melhor do que continuar boiando onde você está.

2. …mas você se sente paralisado pela indecisão.

Ainda que você tenha liberdade para ir e vir ou fazer qualquer coisa, você quase preferiria os problemas de uma crise da meia-idade - i.e., muita previsibilidade ou instabilidade - ao fluxo esquisito dos seus vinte-e-poucos anos. Você tem medo de escolher algo que não lhe trará a realização que você busca - e então, você estará exatamente no mesmo lugar onde começou.

3. Você sente cada vez mais nostalgia dos seus tempos de escola e de faculdade.

Você se lembra de quando a vida era simples? Você sente-se preso entre a sua infância e sua vida de adulto, e você sente saudades do tempo em que sua decisão mais difícil era escolher uma roupa para vestir no baile. (Pelo menos, essa é a maneira que o seu cérebro está filtrando os seus anos de adolescência agora, graças a aqueles óculos rosados de nostalgia).

4. A ideia de fazer um orçamento faz você ficar aterrorizado.

Não pensar em quanto você está gastando em Chipotle e gin tônicas pode não ser uma ideia inteligente, porém evitar questões de dinheiro certamente facilita um pouco da dor existencial. (Pelo menos até que a sua fatura do Visa chegue pelo correio.)

5. Você começou a pensar sobre a sua vida amorosa de uma maneira diferente.

Talvez você não esteja preparado para tirar TODAS as ficadas da mesa, mas se você estiver solteiro, você pode estar se sentindo cada vez mais insatisfeito com encontros ou rolos que não levam a nada. Se você estiver namorando, você pode estar questionando se você realmente quer estar com essa pessoa a longo prazo - e talvez debatendo se é tarde demais para encontrar alguma outra pessoa.

6. Você sente um medo súbito e intenso de fracasso.

Você já está um pouco mais além da faculdade, onde é possível matricular-se em novas aulas, mudar de especialidade e provar coisas novas com uma certa impunidade. Agora você está em pânico que fracassar em uma coisa significa que você continuará fracassando e estragando a sua vida de alguma forma irremediável.

7. Você está entediado com os seus amigos.

Sair para a balada parece cada vez menos atraente, e você se sente cada vez mais alienado de seus colegas da faculdade e as atividades que você costumava fazer na escola. Você já não sente vergonha de passar a noite sozinho, na verdade, você pode até começar a preferir fazer isso.

8. Você constantemente se compara com os seus amigos da sua idade…

Todo mundo já casou! AHHHH

9. …ou com os seus pais quando eles tinham a sua idade.

Eles já tinham filhos (você)! Eles tinham uma casa! Como assim?

10. Você sente que os seus vinte-e-poucos anos não estão sendo do jeito que você esperava que fossem.

Este pode ser o maior sinal de todos de que você está começando a contemplar a sua crise dos 25 anos: Você não consegue parar de pensar sobre como isso não é exatamente o que você imaginou que você seria aos 23, 25 ou 30. Talvez você não tenha um companheiro/a. Talvez você não esteja trabalhando exatamente no emprego dos seus sonhos. Claro, você nunca foi o tipo de pessoa que queria uma “cerca de estacas brancas”, mas você imaginava que, a esta altura, você teria pelo menos UM POUCO de estabilidade. Em vez disso, você tem papajohns.com marcado como favorito no seu navegador e um hábito acanhado de acessar o OkCupid.

Então…. e agora? Se você acha que está sentindo os efeitos da sua própria crise dos 25 anos, segue abaixo algumas dicas práticas do livro de Alexandra Robbins: A Crise dos 25: Como Lidar Com os Desafios da Transição Para a Vida Adulta:

Lembre-se de que a vida não é uma corrida.

Poucas das decisões que você faz aos 26 serão do tipo “ou vai ou racha” na sua vida. Tente não sentir-se obrigado a manter uma carreira que você odeia ou uma relação que esfriou, apenas porque você “já está neste caminho” e você acha que se você terminar um relacionamento ou pedir demissão você vai “voltar atrás” no caminho. A vida é curta demais para ficar insistindo em algo que não fará você feliz, a longo prazo; decida o que vale a pena abrir mão.

Encontre a coragem para se reinventar.

A vida adulta significa encontrar a sua identidade. No colégio e na faculdade, sua identidade era desenhada em um pintar por números: suas notas, sua especialização, sua carreira, suas atividades extracurriculares. Mas pós-faculdade, a sua identidade é um moleskine vazio, e o seu trabalho é determinar quem você é e preencher esse maldito livro. Você pode acabar com páginas rabiscadas e enredos que lamentavelmente ficarão mal resolvidos, mas como Robbins diz: “Em algum momento da sua vida, você vai ter que enfrentar a si mesmo. Você pode muito bem fazê-lo agora.”

Reduza as suas expectativas, e encontre conforto no fato de que você não está sozinho.

Até os seus amigos que saíram direto da faculdade e já encontraram a felicidade conjugal e empregos confortáveis estão sentindo as mesmas dores de mal-estar que você pode estar sentindo. Cerque-se de pessoas que fazem você se sentir seguro e com quem você acha que pode abrir-se de uma forma verdadeiramente catártica. Pessoalmente, encontrar pessoas com as quais eu posso compartilhar as minhas lutas me ajudou imensamente nos meus vinte anos; não há absolutamente nada mais valioso do que um amigo a quem você pode dizer: “Ei, minha vida está uma merda agora”, e ouvir em resposta: “A minha também. Vamos conversar sobre isso.”

Este também é o momento de abrir mão das expectativas de como você acha que a vida adulta deveria ser. Não importa se os seus pais casaram-se com 22 anos ou se o seu amigo está administrando uma start-up bem-sucedida; colocar muito estresse em ideias preconcebidas de como a vida adulta deveria ser, é um jeito tiro e queda de acabar com todos os seus desejos e otimismo. A vida é curta demais para desperdiçá-la sonhando sobre como você gostaria de ter a vida de outra pessoa.

Check out more articles on BuzzFeed.com!

Este post foi traduzido por usuarios de Duolingo, um serviço que ajuda estudantes de idiomas praticar suas hablidades traduzindo textos do dia-a-dia para suas línguas maternas. Queremos continuar crescendo e melhorando o nosso conteúdo. Se você tiver sugestões ou comentários envie-nos um email ao brasil@buzzfeed.com. Obrigado!

Conversas no Facebook
Buzzing agora